Prognóstico de Barcelona x Alavés, na final da Copa do Rei

[ad_1]

A zebra babazorra pagará quase R$ 18 para um!

Barcelona e Alavés decidem a Copa do Rei de 2016/17, no sábado, às 16h30 de Brasília. A grande final será disputada no estádio Vicente Calderón, em Madri.

Conclusão da temporada do Barcelona: Fracasso

Quando a temporada espanhola começa, os gigantes Real Madrid e Barcelona só pensam em conquistar dois torneios: a Champions League e a La Liga. Se perdem ambos, há crise. A Copa do Rei vem muito atrás destes dois certames.

O investimento dos Culés para estes campeonatos foi da ordem de 122,5 milhões de euros em reforços, sem contar as categorias de base. Um dos erros dos cartolas foi terem deixado Daniel Alves partir. Outro, foi não terem percebido que não havia nos juvenis ninguém capaz de se tornar titular em pouco tempo do quadro principal.

O elenco até que começou bem com a conquista da Supercopa Espanhola sobre o Sevilla. Em seguida, na cena doméstica, vieram revezes contra equipes de menor poder econômico, como Celta, Málaga, La Coruña (que flertou com o descenso) e o próprio Alavés. Os azuis e grenás também perderam oito pontos com empates diante de Betis, Málaga, Real Sociedad e Villarreal.

A fragilidade do plantel foi exposta duas vezes na Europa. Primeiro, diante do Paris Saint-Germain. O 4 a 0 da ida forçou os barcelonistas a aplicarem a maior virada da história do campeonato com o 6 a 1 no Camp Nou. Novas falhas diante da Juventus e um novo milagre não foi possível.

Para um grupo que tem o trio Messi, Suárez e Neymar, além de craques como Iniesta, ganhar a Copa do Rei contra o Alavés não é mais do que obrigação.

Quem é o Alavés?

O Alavés é uma agremiação pequena, sediada em Vitoria-Gasteiz, no País-Basco. Acostumado a perambular pelas divisões inferiores do futebol espanhol, a instituição só participou da primeira divisão 12 vezes, contra 37 temporadas na segunda, 12 na terceira, 22 na quarta e uma na quinta. Na Copa do Rei, seu melhor desempenho foi alcançar a semifinal de 1997/98, quando foi batido pelo Mallorca, e a de 2003/04, quando caiu diante do Zaragoza. Em sua sala de troféus há 14 taças de liga (quatro da segundona, quatro da terceirona e seis da quartona).

Poucos se lembram mas o Alavés deu seu cartão de visitas ao mundo do futebol na temporada 2000/01, quando ficou em segundo lugar na Copa da UEFA. Gaziantepspor (da Turquia), Lillestrom (da Noruega), Rosenborg (também da Noruega), a poderosa Internazionale (da Itália), o compatriota Rayo Vallecano e o Kaiserslautern (da Alemanha) ficaram pelo caminho. Na grande final, em Dortmund, contra o Liverpool, houve empate em 4 a 4. Na prorrogação, o sonho espanhol foi por terra, quando os ingleses conseguiram ganhar por 1 a 0.

Para esta temporada, os alvianis conseguiram montar um bom elenco com atletas emprestados: o brasileiro Rodrigo Ely (do Milan), Llorente (do Real Madrid), Sobrino (do Manchester City), Camarasa (do Levante), o paraguaio Romero (do Xangai Shenhua), Ortolá (do Barcelona), o francês Hernández (do Atlético de Madrid) e o brasileiro Deyverson (do Levante). O plantel é experiente, e conta com profissionais de várias nacionalidades como as venezuelana, marroquina, sérvia e colombiana, além das já mencionadas acima. Assim, o Alavés terminou a La Liga na nona colocação.

Como chegaram à final?

O Alavés eliminou o Gimnàstic de Tarragona, da 2a divisão, o La Coruña, o Alcorcón, da 2a divisão, e o Celta.

O Barcelona teve um percurso mais difícil: ganhou do Hércules, da 3a divisão, do Athletic de Bilbao, da Real Sociedad e do Atlético de Madrid.

Eles devem entrar em campo com as seguintes formações:

Barcelona: Ter Stegen; Roberto, Piqué, Umtiti e Alba; Busquets, Rakitic e Iniesta; Messi, Suárez e Neymar. Técnico: Luis Enrique.

Alavés: Fernando Pacheco; Toquero, Feddal, Theo Hernández e Rodrigo Ely; Laguardia, Manu Garcia, Camarasa e Ibai; Edgar e Deyverson. Técnico: Mauricio Pellegrino.

Quem vence?

O Alavés entrará com tudo. É a partida mais importante da história do clube. Os jogadores estão concentrados há pelo menos duas semanas focados neste embate. Não importa. Para mim, o Barcelona dará uma goleada, pois precisa provar que tem potencial para voar mais alto em 2017/18. Segundo o Bet365, o triunfo dos catalães gerará um lucro de apenas 16%, contra R$ 7,58 para um do empate e incríveis R$ 17,98 da surpresa basca.

Sempre escrevo aqui que há outras opções de apostas. Para ficar com a taça, independente de tempo normal, prorrogação e pênaltis, os culés estão cotados em R$ 10,83 para dez, contra R$ 80 do Glorioso.

O investidor mais conservador pode ir de hipótese dupla: Barça ou empate gera R$ 104 para cem, contra R$ 550 de empate ou Alavés e R$ 111 de um campeão no tempo normal.

Como gosto de arriscar – e de ganhar dinheiro – suspeito que o Messi e companhia ganharão por 4 a 1. Se eu estiver certo, ganharei R$ 17 para um. Há outros placares para você conferir suas cotações online. Confira!

Confira os Odds de 22 de maio, segundo o Bet365

Final: Sábado, 27 de maio
  • 16h30: (R$ 1,16) Barcelona x Alavés (R$ 17,98) (Empate R$ 7,58)

Os Campeões

Copa Coronación:
Copa del Rey:
  • 1903 – Athletic Bilbao
  • 1904 – Athletic Bilbao
  • 1905 – Real Madrid
  • 1906 – Real Madrid
  • 1907 – Real Madrid
  • 1908 – Real Madrid
  • 1909 – Real Sociedad
  • 1910 – Athletic Bilbao
  • 1910 – Barcelona
  • 1911 – Athletic Bilbao
  • 1912 – Barcelona
  • 1913 – Rácing Irún
  • 1913 – Barcelona
  • 1914 – Athletic Bilbao
  • 1915 – Athletic Bilbao
  • 1916 – Athletic Bilbao
  • 1917 – Real Madrid
  • 1918 – Real Unión
  • 1919 – Arenas
  • 1920 – Barcelona
  • 1921 – Athletic Bilbao
  • 1922 – Barcelona
  • 1923 – Athletic Bilbao
  • 1924 – Real Unión
  • 1925 – Barcelona
  • 1926 – Barcelona
  • 1927 – Real Unión
  • 1928 – Barcelona
  • 1928/29 – Español
  • 1930 – Athletic Bilbao
  • 1931 – Athletic Bilbao
  • 1932 – Athletic Bilbao
  • 1933 – Athletic Bilbao
  • 1934 – Real Madrid
  • 1935 – Sevilla
  • 1936 – Real Madrid
  • 1939 – Sevilla
  • 1940 – Español
  • 1941 – Valencia
  • 1942 – Barcelona
  • 1943 – Athletic Bilbao
  • 1944 – Athletic Bilbao
  • 1944/45 – Athletic Bilbao
  • 1946 – Real Madrid
  • 1947 – Real Madrid
  • 1947/48 – Sevilla
  • 1948/49 – Valencia
  • 1949/50 – Athletic Bilbao
  • 1951 – Barcelona
  • 1952 – Barcelona
  • 1952/53 – Barcelona
  • 1954 – Valencia
  • 1955 – Athletic Bilbao
  • 1956 – Athletic Bilbao
  • 1957 – Barcelona
  • 1958 – Athletic Bilbao
  • 1958/59 – Barcelona
  • 1959/60 – Atlético de Madrid
  • 1960/61 – Atlético de Madrid
  • 1961/62 – Real Madrid
  • 1962/63 – Barcelona
  • 1963/64 – Zaragoza
  • 1964/65 – Atlético de Madrid
  • 1965/66 – Zaragoza
  • 1966/67 – Valencia
  • 1967/68 – Barcelona
  • 1969 – Athletic Bilbao
  • 1969/70 – Real Madrid
  • 1970/71 – Barcelona
  • 1971/72 – Atlético de Madrid
  • 1972/73 – Athletic Bilbao
  • 1973/74 – Real Madrid
  • 1974/75 – Real Madrid
  • 1975/76 – Atlético de Madrid
  • 1976/77 – Betis
  • 1977/78 – Barcelona
  • 1978/79 – Valencia
  • 1979/80 – Real Madrid
  • 1980/81 – Barcelona
  • 1981/82 – Real Madrid
  • 1982/83 – Barcelona
  • 1983/84 – Athletic Bilbao
  • 1984/85 – Atlético de Madrid
  • 1985/86 – Zaragoza
  • 1986/87 – Real Sociedad
  • 1987/88 – Barcelona
  • 1988/89 – Real Madrid
  • 1989/90 – Barcelona
  • 1990/91 – Atlético de Madrid
  • 1991/92 – Atlético de Madrid
  • 1992/93 – Real Madrid
  • 1993/94 – Zaragoza
  • 1994/95 – La Coruña
  • 1995/96 – Atlético de Madrid
  • 1996/97 – Barcelona
  • 1997/98 – Barcelona
  • 1998/99 – Valencia
  • 1999/00 – Español
  • 2000/01 – Zaragoza
  • 2001/02 – La Coruña
  • 2002/03 – Mallorca
  • 2003/04 – Zaragoza
  • 2004/05 – Betis
  • 2005/06 – Español
  • 2006/07 – Sevilla
  • 2007/08 – Valencia
  • 2008/09 – Barcelona
  • 2009/10 – Sevilla
  • 2010/11 – Real Madrid
  • 2011/12 – Barcelona
  • 2012/13 – Atlético de Madrid
  • 2013/14 – Real Madrid
  • 2014/15 – Barcelona
  • 2015/16 – Barcelona

[ad_2]

Source link

Leave a Comment